Site de Poesias

Menu

O CISO DA BIRUTA

letras aos ares
aleatórios enredos
inverossímeis à deriva
de nexos e sentidos

encerrando emoções
apreendendo ritmos
zunindo nas folhas,
uivos dos ventos,
sensações, momentos

antenas acessas
à flor da pele
derme exposta
ouvidos alertas
sons do silêncio

absorto na faina
tresloucada insana
da aturdida multidão
um insano devaneia
e da janela degusta o mundo ...

Compartilhar
EDILOY A C FERRARO
26/09/2011