Site de Poesias

Menu

Gordinhas e Magrelas

[Ilustração não carregada]

 
Amo tanto  toda gordinha do mundo,
Assim com um sentimento tão belo e  profundo,
Que se eu ousasse dizer,
Ninguém nas Galáxias iria  me entender!
 
Amo tanto às mulheres  de quaquer idade e gordinhas
De um  modo tal que em meu louco nelas sonhar...
Acho que todas e de todas as idade do Planeta são só minhas
E ninguém mais às ama o tanto quanto às amo,
Muito mais que nesta mensagem agora ao mundo proclamo.
 
 
Nada contra a belezura magnética das megrelas,
Lindas e sexys e nenhuma mais maravilhosa que elas,
Com o charme que é só delas
Capaz de capturar a quem quiser,
Pois nelas se manifesta a supremacía da Mamãe Natureza
Em toda sua mais radiante beleza,
E em toda sua mais suprema e radiante grandeza
Manifesta e viva em forma de mulher.
 
Porém, gordinha mexe tanto comigo
Que só ao vê-las meu coração quase explode
O que pra minha vida é inegável perigo,
Pois só em nelas agora em pensar, meu coração já sacode.
 
O mais legal de tudo é que aprendendo a observar
Nas mulheres mais velhas e cheia de amor pra receber
E ao mesmo dar a quem elas achem que merecer
Pois somente elas tanto sabem amar,
Quanto às vezes tão bem aos otários enganar.

Compartilhar
Patricio Franco
18/07/2011