Site de Poesias

Menu

SEMPRE ASSIM

 

Meu coração balança ao som de um samba de gosto

Sob as frases de Noel, e o ritmo de sua maestria , ordeno esses pensamentos

Tenho a idade das razões , das iluzões , decepções , e tudo mais que sobrou das confissões !

Sou tudo que quero , eo que não tenho eu peço , mas nunca imploro , posso até furtar , mas sem qualquer amargura

Só levo o doce eo colorido das flores em meus vestidos !

Choro, amo, volto a amar minha vaidade , a minha guerra , sou ave de rapina

Um falcão , que sabendo manter sua sobrevivência , arranca o próprio bico , e espera dolorosamente outro nascer lindamente perfeito.

Tudo que fiz e vivi , me tornou sempre assim ; de natureza arredia e adocicada, observadora agitada , desviando as atenções .

Um pouco de tudo trago em mim , deixo meu corpo contar a sua história

Minha pele e seu calor , traduzem o gosto que deixei na tua boca ! 

Compartilhar
Lygia Zamali Fernandes
08/07/2011

  • 0 comentários
  • 62 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados