Absolvição de um Pecado Imperdoável

Perdoe-me Pai,

Peço desculpas senhor todo poderoso,
Peço que me absolva Deus meu, porque errei,
Um erro imperdoável (inaceitável).

Transgredi o mais importante,
Grandioso e definitivo mandamento
E como se não fosse o bastante
Violei também o segundo maior,
Aquele que o teu próprio filho proclamou.

Mas não espero que me perdoe,
Não espero perdão, por cometer
A mais grave dentre todas as faltas,
Porque meu pedido não é sincero,
Não, não o é.

Se me entregasse à sinceridade,
Expondo-lhe tudo aquilo que interiorizo,
Lhe confessaria que descumpri
Os mandamentos mais sagrados,
Pois acurralado por meus sentimentos,
Não pude defender-me e cedi.

Cedi ao que me foi avassalador,
Dominante, devorador, atropelante,
Predominante, preponderante.
Cedi a Ela.

Entreguei-me a Ela. Vendi-me a Ela.
Engrandeci, amadureci, desfaleci,
Me restitui por Ela.

Te amei mais do que me amei,
Te amei mais do que ao próximo
E em meu pecado imperdoável
Te amei mais do que a Deus
E sobre todas as coisas.

Contudo, se o ato de amar liberta,
Cumpro minha pena livre.
Sou um condenado,
Obrigado a responder em liberdade.

Te amei mais do que me amei,
Mais do que ao próximo,
Mais do que a Deus,
Mais e sobre todas as coisas.

(Compositor: Michel F.M.) ©