Site de Poesias

Menu

"Carta suicida"

 Não entendo como pode muitos viverem nessa solidão. 
Não consigo me entender. 
Amo alguém, que não me ama mais. 
Quando passa perto de mim meu corpo treme, minha vista embaça, perco os sentidos. 
Tento me mostrar forte, e não consigo. 
Minhas recaídas são besteiras que não consigo esconder. 
Tenho vontade de fugir, mais fugir de mim mesmo não é correto. 
Tenho vontade de chorar, não tenho mais lágrimas. 
Tenho vontade de morrer, mais meu amor por ela não deixa. 
Estou me matando, está perto dela e não poder toca-la. 
Não entendo tanto sofrimento em uma só pessoa. 
Não compreendo porque tenho que ser assim. 
sem direitos. 
Direito de morrer, não tenho. 
De amar, muito menos. 
Direito de ser feliz, não me pertence. 
Por que tenho que ter uma vida, se dela não posso usufruir. 
Por que tenho uma vida, se não posso viver. 
Durmo e acordo com os mesmo pensamentos. 
Com a mesma solidão. 
Não consigo mais olhar pro lados e ver o vazio. 
Não suporto mais me olhar no espelho e me ver envelhecendo. 
Demonstrar que sou alegre, já estou cansando.

Estou enlouquecendo aos poucos. 
Na verdade, já estou louco. 
Tenho vontade de gritar,esperniar,chorar,pular. 
Mais não sei como fazer. 
Não quero trazer infelicidades aos amigos que tanto me acolhem. 
Mais tenho vontade de escrever uma carta. 
Assim dizendo: 
"Lutei por um caminho feliz, e nele encontrei muitas pedras. 
Dele me cansei. 
Não quero que fiquem triste, em minha partida guardarei todos. 
Quero que de mim todos lembrem-se dos meus dias. 
Que um lutador, que cansei de esperar minha vitória. 
Hoje descanso, e não sinto mais tudo aquilo que sentia. 
Pois minha partida foi a única opção correta que encontrei. 
Não chorem,pois assim dei fim ao meu sofrimento. 
Pois esse sempre foi o finda os loucos. 
Então aos amigos deixo meu Adeus. 
E que me guardem no fundo do coração." 
Adeus... 

Autor:Verton Brandino Da Silva 
(01/06/2011) 
São Paulo

Compartilhar
Verton Brandino
01/06/2011

  • 0 comentários
  • 53 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados