Site de Poesias

Menu

Faça de conta...

[Ilustração não carregada]

(imagem copiada do Google)
 
 
Se me vir andando pela rua
finja que jamais me viu,
como se esse meu olhar triste
 por um motivo qualquer surgiu
e que  não foi você o causador
do estrago que em meu peito
transformou-se em dor.
 
Finja com naturalidade
como sempre muito bem o fez
fazendo parecer verdade
a mentira que nunca desfez,
que se vestiu de autenticidade
levando-me a crer no amor
que nunca pudesse morrer.
 
 
Mude de calçada, siga calmamente,
deixe que as mágoas todas eu transporto,
mesmo com a alma pesada
pela dor que transbordo.
Faça de conta que a culpa foi minha,
que toda farsa em meu ser se aninha...
Deixe que eu carregue o peso desse fardo
e siga como se nunca o houvesse amado.
 
 
                    _Carmen Lúcia_
 

Compartilhar

01/06/2011