Site de Poesias

Menu

BUNDAS

 
BUNDAS, BUNDAS,
BUNDAS FOI O QUE VI.
CRIANÇAS, VELHAS, MENINAS...
UMAS EM FORMA DE PÃO,
OUTRAS PARECENDO DOIS OVOS FRITOS.
UMAS CARNUDAS, OUTRAS TROMBADAS
FEITO BRIGA DE CABRITOS .
ALGUMAS PERIGOSAS IGUAL DINAMITE,
E MUITAS - MAS MUITAS, MESMO ! -
ANDANDO COM O CELULAR E A CELULITE.
PRETAS, BRANCAS, VERMELHAS,
E NO MEIO DAS BUNDAS...AS GRELHAS.
TINHA BUNDA DE NADA;
TINHA DE NADEGAS.
TINHA CRIADA E HÍBRIDA;
TINHA FAMOSA E COMUM.
TINHA CURTA E COMPRIDA;
TINHA UMA PARECENDO TETA.
TINHA SIMPLES.
TINHA FUMANDO UM
CIGARRINHO DO CAPETA.
TINHA COM CASCA E AZEDA;
TINHA DE MACHO E FÊMEA.
TINHA PEIDANDO;
TINHA CHEIRANDO GARDÊNIA....
AH...DEITADO NA PRAIA,
COM A CABEÇA NO TRAVESSEIRO DE AREIA
SÓ NÃO VI UMA BUNDA POR ALI:
AQUELA ATRÁS DESTAS COSTAS AQUI.

Compartilhar
ALEXANDRE NEGÃO
16/05/2011

  • 0 comentários
  • 52 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados