Site de Poesias

Menu

Lembro-me

Lembro-me...
 
Das cerejas rosadas e carnudas,
- que se comem ao borralho em Maio;
 
Das uva frescas e sumarentas,
- que se colhem em Setembro:
 
Das águas cristalinas e frescas,
- que brotam do ventre da terra mãe;
 
Das andorinhas enlaçadas,
- que esvoaçam nos beirais do canastro;
 
Do sol doirado e quente,
- que beija suavemente a crista das ondas;
 
Do luar prateado, terno e doce,
- que afaga o mês de Agosto;
 
Da gazela viva, palpitante, rebelde e meiga,
- que se passeia na pradaria agreste;
 
Dos lábios sedosos, carnudos, quentes e doces,
- que adornam tua juventude;
 
Do teu arfar envolvente e irresistível quando beijas...
 
De tudo me lembro.
 
E de ti,
meu amor...
Nunca me esquecerei!
 


Compartilhar
Afonso Rocha
07/05/2011