Site de Poesias

Menu

Amantes

Desfrutavam da infidelidade carnal

Perfidamente apaixonados

Enlaçados em seus corpos

Embriagados de luxuria

Em um escuro secreto

Entre paredes sigilosas

Um que não era do outro

O outro que não era de nenhum

Amor lúbrico, sem receios

Cheio de essências

Consumiam-se vorazmente

Descompromissados do mundo

Feito selvageria

Prendiam a coxa entre o ventre

Cravavam seus dentes

Sem deixar vestígios

"Basilios" ao se tocar

Alimentavam-se do indecente, do imprudente que tanto os satisfazia

Após devassar – sem,

Feito calmaria

Voltavam a seus postos

De lados opostos

Como quem nada fazia.

 

 

 

*Básilios: Termo criado a partir do livro "O primo Basilio - Eça de Queirós"

Compartilhar
Ana Julia Artur Bolato
24/04/2011