Infindável Busca

 O que procuro um dia acharei?
Meu peito encontrará felicidade?
Mergulho na mentira que criei
Por não suportar a verdade.
 
O que resta depois do amor?
Nada mais pode me curar
O que resta se não dor?
De uma mentira capaz de matar.
 
Seria a felicidade um troféu?
O prêmio a quem não desiste?
Palavras jogadas ao céu,
Uma vã esperança que ainda existe.
 
Chega o fim dos meus dias
A solidão ainda me rodeia,
É a morte de minhas agonias
Apenas mais uma marca na areia...

Ritinha
© Todos os direitos reservados