Site de Poesias

Menu

Brio

Esse monstro que me habita

Será inimigo ou bem-vindo?

Esse ser que me corrompe, me corrói e me constrói

Faz morada em minhas entranhas

Faz da dor um ritmo, como quem nada sente e dança sem perceber

Apossou-se do meu intimo

Como enigma que não consigo desfazer

Modificou minh'alma

Para inspirações trouxe um novo ver

Se é pra bem ou pra mal

Tão pouco sei

Mas no momento me cai bem

Vejo em mim a ânsia por me conhecer

Me satisfazer

Me desfrutar

Me viver...

Uma criatura doentia e amigável

Tão vulnerável quanto quem a cria

Esse parasita intitulado ego

Que cresce e aos poucos nos domina!

Compartilhar
Ana Julia Artur Bolato
10/04/2011