CHUTANDO BALDES

CHUTANDO O BALDE

Chute o balde
Levante pra dez
Cartas na mesa
Vire a mesma
Não dê moleza

Chute a barraca
Arregace a manga
Se faltar peito
O blefe é perfeito

Se necessário
Arme barraco
Alma nos dentes
Não esconda a cara
Diga qual é a cepa
Diga prá que vieste
Agigante e cresça

Nada de vacilo
Segure a valise
Mantenha a guarda
Minimize a desdita

Palavra afiada
Fio de navalha
Segurança tida
Sonho mantido

Chapa quente
Cabeça fria
Punho cerrado
Silencie e lute
Não perca no grito

Sorriso no lábio
Não negue a mão
A barra é pesada
Não deixe prá lá
No olho no olho
A verdade vence

A esperança é perene
Bom cabrito não grita
Não aceite cabresto
Ponha a mão no fogo
Se a causa for da boa

Se a Inês é morta
Arrombe a porta
Lave toda alma
Mostre os rastros
Renove os laços
Suba em paredes

Faça tudo que convier
Mas faça com justiça
Onde faltar o amor
Lute com fervor

Melhor morrer em luta
Pois covarde não dorme

www.hserpa.prosaeverso.net

"Não é o lugar em que nos encontramos nem as exterioridades que tornam as pessoas felizes; a felicidade provém do íntimo, daquilo que o ser humano sente dentro de sí mesmo' Roselis von Sass - graal.org.br

HSERPA
© Todos os direitos reservados