Site de Poesias

Menu

Anseio de morte

 vida cruel e vazia
que me domina a cada dia
faz do meu ser um verme
que rasteja para um leito
um leito bem profundo,
leito de morte.
a cada dia vivo mais
mais triste, deprimido e angustiado
que me faz querer mais e mais
fazer com que esta vida de amarguras se acabe.
a cada novo dia, uma nova angustia,
uma nova tristeza, uma nova dor.
flores na minha vida já não existem
o jardim que na minh'alma vivia 
hoje dorme um sono profundo e cinzento
nevoas cobrem o meu ser.
vontade de existir já não tenho
na minha vida só resteu um desejo
um anseio, um anseio de morte.
 

Compartilhar

leiam e comentem. obrigado.

Mateus Mezadre
07/02/2011