Site de Poesias

Menu

Consumismo.

[Ilustração não carregada]

No vai e vem dos calçadões
seres alienados disputam
espaço com as “bancas”
expostas no (meio fio)
abarrotadas de quinquilharias...
 
Preços irrisórios enchem os olhos
dos transeuntes esvaziando-lhes
os bolsos. As retóricas de sempre,
microfone na mão vendem de tudo,
inclusive a falsa ilusão de poder...
 
Produtos (Ting-Ling) de origem suspeita,
sem qualidade, sem impostos e produzidos
quase sempre por (mão de obra escrava) e,
nos bancos das praças os jovens ao invés de
acariciarem suas namoradas (os) acariciam
seus celulares...
 
  
 

Compartilhar

Obrigado pelo carinho da vista ao sair deixe um comentário ou uma simples critica.

Calçadão de São Jose do Rio Preto,

Natal de 2010.

Jose Aparecido Botacini
03/02/2011

  • 9 comentários
  • 1240 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados