Site de Poesias

Menu

A vida não é perdida.

Há sempre momentos de dúvidas onde até aquele buraco que serviria de janela não tem vidro nem espaço. Estes momentos, os mais perturbantes, os mais compridos, e os mais cheios,são os que nos caracterizam mais. Quando nenhum de nós sabe mais o que fazer porque o caminho que chega aonde a gente quer, está ainda mais ao longe. Tudo o que a gente deseja vem e vai sem mais nem menos. O lobo apavorado se esconde e vira monge. Um copo só me obedece e disperde as cinzas no ar do luar cedo e escondido. Queremos tudo e perdemos o objectivo sem conhecer os bandidos que nos ajudarão a guiar o mar.

Compartilhar
Isadora L. de O.
01/02/2011