Conversa sem fim

Em alguns momentos
Sinto vontade de desistir
Se desisto, então, não sei o que será
Nem mesmo sei o que é existir
Como não conheço
Não posso negar o que não vejo..
 
As pedras do caminho
Me causam cansaço
Pés doloridos, feridos, nus
A flor da pele.
Descalços.
 
Nunca tinha percebido
Pisar dói
Significa que faço parte desse lugar
Que tenho que tocá-lo
Para poder caminhar.
 
Nego-me
Não quero estar aqui
Meu lugar não sei onde fica
Onde estou?
Somente a certeza que não é aí.
 
Conversa sem meio
Nem fim
Arco-íris sem cor
Tons de cinza
Com viés de preto.
 
Minhas fracas pernas
Apoio buscam
E somente a mim encontram
Fogo sem luz.
Sem vontade.
 
Larga de mim
Louca essência!
Deixe-me aqui
Parado
Quem sabe chegará
Enfim o dia
No qual
A contragosto
Aceitarei
Que não sou nada

Além de mim mesmo.