Há mulheres...

Há mulheres...

       Há mulheres que existem pra encantar a terra dos sonhos,

mulheres cuja existência se faz questionável,

pois a mera realidade parece não conte-las;

mulheres que encabulam até a mais sublime das fantasias.

      Há mulheres que são um lembrete de Deus, de que Ele é magnífico;

mulheres que são rios de água cristalina nas montanhas da alma,

mulheres que profanam o solo sagrado da indiferença, pois não podem ser ignoradas,

mulheres que cruzam nosso caminho para muda-lo.

      Há mulheres que carregam consigo o cheiro do jardim do Édem,

a beleza de suas flores e a pureza de suas fontes,

mulheres "imortais", ivulneráveis, divinas;

mulheres que habitam no mais sagrado templo, o coração.

      Há mulheres que dominam a luz e a dar a quem quiser,

mulheres que sabotam o tempo, que são íntimas do inesquecível,

mulheres que são donas do magnetismo dos olhos,

verdadeiras sacerdotizas dos sorrisos involuntários.

      Digo mulheres no plural, pois há várias delas, mas não se engane!

pois a ironia é que apenas uma única dessas mulheres nos convencerá dessas verdades, e nos fará sofrer por isso.

      Digo que essa mulher nos persuadirá a crer que ela, e que somente ela, é o pote de ouro no final do arco íris da vida.  E, por incutir-nos verdades tão profundas, ela obterá o direito de pedir um sacrifício,

      o de nós mesmos;  e nós o faremos.

 

 

 

Monge da noite
© Todos os direitos reservados