Tanto por Nada

Tanto por Nada

Pensar no que disser.
Cada dia flui a inexistência.
Medito em partir,
Mas o que fazer quando chegar?
 
Se pudesse eu obter.
Se fosse simples.
Se sua risada não me assombrasse.
Se seu sorriso não me insana se.
 
Minha força sucumbe a sua.
Minha razão se ensoberbece
E meu espírito se perde.
Já não estou em mim.
 
O fogo do seu olhar purifica-me,
Permite ao imundo ser sacro,
Leva-me a santidade
E tudo isso me lembra que sou apenas mortal fraco.

Nils
© Todos os direitos reservados