Site de Poesias

Menu

Sem véu ao céu

Não uso véu em rosto
Meus pés andam pelo chão
E respiro ate esse ar
Que ar?

Um e dois e só
A luz e a noite só
Movendo-se eis que se vou
Me tenho só eu

E volto, vou e fico
Mas só fico por pouco
Pois não é o tempo
É tempo de todos

Sendo na hora do sol
Ou em vezes de lua
Um coração que pára
Não se ouve tua dor

Não uso véu em rosto
Não uso palavras, nem olhar
Sou no de amanhã o que passou
Sou o fantasma a vagar

Compartilhar

no meu forte...

Luiz Von Souz
23/08/2005