Site de Poesias

Menu

Nunca Mais

Nunca mais virás a mim

com o olhar machucado de desejo

tendo nos lábios o sorriso preso,

tendo nas veias o sabor de sal.

Fazendo amarras desses braços

tornando meu e também teu o mesmo passo

olhando a brisa no corpo das flores

e me apertando cheio de temores

ante o amanhecer...

 

Nunca mais virás a mim

com teus horizontes de sonhos

com teus castelos medonhos

por não conter tanto amor...

E essas tuas mãos atrevidas

parecem desconhecidas

pobres, soltas e esquecidas

nesse adeus, porto de dor.

Compartilhar
Elisabeth Camargo Martello
25/11/2010

  • 1 comentário
  • 455 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados
  • Tags: