A Cura

Diante de mim, uma estrela cintilante
Um olhar quando o brilho revive o sorriso
Até então escondido, perdido no instante
Quase não existindo, oculto e impreciso
 
Ignorando o sentido, da tristeza constante 
Nas cores que desfaz o meu ser incontido
Perdido na procura, querendo ser o amante
Da cor do olhar, que o viver eu preciso
 
Colorindo minha sombra, e aquecendo-me do frio
No calor de estar contigo, quando a dor é vencida
Pela paixão que o olhar, ilumina toda a rima
 
De um amor que o brilho, é o ar que eu respiro
Semeando minha alma, na história desta vida
Quando a cura é amá-la, e faz secar minha ferida

Murilo Celani Servo
© Todos os direitos reservados