Site de Poesias

Menu

Ausência Humana

 Não sei o que eu faço,
Nada me parece bem,
Se estou sorrindo, logo choro,
A caminhada é de água e de cloro.
 


A porta que se abre está vazia,
Os pássaros que volteiam longe se vão,
A estrada é de medo, de pavor,
Onde, meu Deus, ficou meu abrigo de amor?
 


Nada me agrada... passos ligeiros...
Perdi da vida meu verdadeiro roteiro,
Quanto sol eu já fui!
O horizonte me deixou e partiu!
 


O destino demorou a se pronunciar,
Demorou a se delinear,
Tristemente, me colocou
Frente a um amor, que ele mesmo crucificou!
 


A terra é linda, mas seus habitantes confundem,
Os sonhos de verão iludem,
Vida e aurora
São redemoinhos que não vão embora!


Siga-nos no Twitter! @grispino


Mais de 140 poesias em nosso site! Visite-nos!


 www.izabelsadallagrispino.com.br


 

Compartilhar
grispino
14/09/2010