A espera

 

 
 
Sem o teu amor sofro,
Espero, espero, espero...
Impaciente e inconformado, te espero,
Vejo os dias e as noites irem embora,
As estações do ano, os meses , vão embora,
E agora! O que faço, te espero, ou não?
Já não tenho certeza, sinto-me confuso,
Até quando te esperarei, ate quando?
Não sei, não entendo, porque te espero tanto,
Em um dia destes, certamente me cansarei desta espera,
Enquanto este dia não chega,
Ficarei aqui a te esperar.
A quem devo esperar?
Talvez você...
Ou talvez ao meu próprio encontro.

Cesar Garcez
© Todos os direitos reservados