Site de Poesias

Menu

Timidez (dois) soneto.

[Ilustração não carregada]

Não sei por que, mas você é tão tímida,
Ao seu lado não sou tão natural.
No entanto eu lhe daria minha vida,
Para livrá-la de todo e qualquer mal.
 
Se às vezes lhe sorrio embevecido,
É por amá-la muito afinal.
Sua alma se retranca revestida,
Nesta couraça de timidez tão formal.
 
Como crianças tímidas, medrosas,
Deixamos ir o tempo desfolhando
Pela estrada da vida nossas rosas.
 
Assim vou ti esquecendo hora pós hora.
Enquanto a sua timidez vai me recalcando,
Vou ti perdendo por este mundo a fora.
 

Compartilhar

Obrigado pelo carinho da visita ao sair deixe um comentário ou uma simples critica.

Jose Aparecido Botacini
22/07/2010

  • 9 comentários
  • 339 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados