Novas trovas

No sereno cair de tarde
Deixo cair meu querer,
O sol da manhã já não arde
E em mim  o arrefecer!

No meu mar de traquilidade
Só quero fases de luas novas
Só quero um mar de suavidade
Com marés de novas trovas

No leito macio da minha cama
Só quero ondas na superfície,
Feitas por ventos de quem me  ama
E como sereia me enfeitice.

É nesta languidez de meu querer,
Nesta  plácida serenidade,
Que fico quieto, sem me mexer
Ou com amor em tempestade!
...............xxxxxxxxx....................
Autor: Silvino Taveira Machado Figueiredo
(o figas de saint pierre de lá-buraque)
Gondomar
 

Silvino Taveira Machado Figueiredo
© Todos os direitos reservados