Site de Poesias

Menu

Soneto I: 'A poesia que há em mim'

[Ilustração não carregada]

Nas estranhas de meu ser - brota o verso
As palavras, junto a um tom, faz melodia
Transforma o tédio em linda sinfonia
Inverte a tristeza, transforma - texto reverso

Faz de mim ser o que quero - sem pudor
Sem malícia, na pura inocência de um menino
Crescendo com o tempo, com poesias ouvindo
Na busca da paz, sinceras rimas de amor

Sonho de ser algum dia (poeta fiel)
Descrever em meus versos, o que sinto
Iludindo-me em devaneios sem fim

Versos que me deixem mais perto do céu
Coisas que digo - e não minto
É essa a poesia que há em mim...

Compartilhar
P.C Spedicatto
30/06/2010

  • 1 comentário
  • 56 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados