Site de Poesias

Menu

PUPILAS DILATADAS

 
PUPILAS DILATADAS
Por: William Vicente Borges
 
Estou assim
Estatelado
Completamente
Enamorado
 
Pupilas dilatadas
Inerte
Petrificado
É a sua beleza
 
Tudo parou em volta
Tua mão segurando
Bem forte a minha
E eu feliz da vida
 
Para sempre
Para sempre
E não quero
Nem piscar
 
Com medo de
Neste abrir e fechar
De olhos
Eu não veja mais você
A me amar
 
E tudo é verdade
Sonho que se tornou real
E eu que nem pensava
Que existia alguém assim
Tão especial.
 
 
..................
 
Outono de 2010

Compartilhar
WILLIAM VICENTE BORGES
17/06/2010

  • 0 comentários
  • 176 visualizações neste mês
  • sob licença creative commons
    Você pode distribuir este poema, desde que:
    • Atribua créditos ao seu autor
    • Não use-o comercialmente
    • Distribua-o sob essa mesma licença