Site de Poesias

Menu

LÁGRIMAS DO TEMPO

de um dia cálido, reluzente,
onde o rei sol reinava absoluto,

das ondas frias em mares revoltos
trouxeram, aos poucos, a brisa,
a água miúda, por fim a chuva intensa

e o que era claro, esplendoroso,
quedou-se vencido pelo cinza escuro
de nuvens carregadas, como tetas cheias,
precoce noite em plena manhã, chorando,
despejando nas ruas suas lágrimas...

Compartilhar
EDILOY A C FERRARO
13/06/2010