Site de Poesias

Menu

... Quando a Morte Vier ...

[Ilustração não carregada]

Quando esse anjo de vestes branca ou negra chegar,
não tentarei me esconder ou correr rumo ao infinito,
irei encarar essa sina e deixarei ser levado,
ficarei ali parado,
pois eu sei que alguém me dedurou e não adianta fugir,
sabendo que pouco importará minha luta,
deixarei para traz a diária disputa,
que travo desde que nasci.
Saberei que é a minha hora,
hora de sumir de verdade,
hora de sair daqui.

Meu destino?
Onde estarei indo?
Importante não será,
pois meu destino fora traçado,
estando certo ou errado,
daqui serei levado.

Se existir vida além fronteiras,
se eu for levado ao céu ou ao inferno,
pouco me importa,
abrirei a porta e entrarei onde quer que seja,
e lá onde eu estiver,
continuarei sendo eu mesmo,
contando piadas sem graça,
sem rodeios, sem mágicas,
tentando animar os outros sempre,
tentando transmitir o pouco de energia que tenho,
e se não gostarem de mim mando todos ao “inferno”,
e me mandem de volta,
pois mesmo não sendo um mundo descente,
eu ‘amo’ essa gente,
que me deduraram ao “Anjo da Morte”,
mas eles não sabiam que eu não creio em sorte,
creio sim em merecimento,
creio em aproveitamento,
mas já aviso!
Caso eu volte,
nada mudarei,
continuarei sem quem sou,
não terei em mim nenhuma revolta,
e se continuar a não agradar alguns,
que o ‘Anjo’ retorne e me leve de Volta.

Compartilhar

deixa ela vir.. foda-se, até lá quero viver muito, obrigado e beijo no coração de vocês.....

"Adilson Costa"
28/04/2010