Site de Poesias

Menu

Flores da Vida

[Ilustração não carregada]


Qual flor delicada que surgiu na primavera,
poderá resistir às frias brisas 
da maturidade do outono?
Qual coração aquecido pelas chamas
das ardentes paixões,
aprenderá, um dia, a pulsar 
pelo calor afetivo do suave amor?
Que exista este dia. 
Que ele despreze o tempo dos calendários,
que ele comungue com a eternidade.
Que seja escrito na alma.
E então ele não será como pluma
a se perder no vento do destino.
Não será escravo do acaso, 
mas terá vida própria e sua busca
será vínculo entre almas, 
será aliança consolidada por um olhar.
E estes olhares haverão de se buscar, 
depositários deste mistério.
Serão olhos depositários de lágrimas, 
serão olhos de molduras de sorrisos.
Serão promessa de inquietação e paciência, 
inspiração para a esperança.
E esta será a musa 
que há de unir letras em sílabas 
e estas em palavras
para, em pacto com o Criador, 
organizarem-se no corpo do leve poema
.

Compartilhar

Se desejar ouvir o áudio: http://recantodasletras.u...


21/03/2010