Site de Poesias

Menu

Em um banco de praça.

 Um dia sentei-me em um banco de praça tendo como companhia o amor,

logo iniciamos uma conversa entre amigos e durante essa conversa perguntei-lhe:

Amor,  porque tu fazes com que aqueles que amam sofram com um amor não retribuído?

 Então ele olhou em meus olhos e disse:

Eu não faço as pessoas sofrerem, pois eu sou um só.

As pessoas que olham para as diferenças, quem é gordo quem é magro,

quem tem olhos claros, ou cabelos lisos, são diferenças que se olhadas 

me impedem de bater na porta de um coração.

Então baixei minha cabeça e me lembrei das vezes em que pessoas tiveram a coragem de 

expressarem seus sentimentos e como um verdadeiro tolo, ao menos não respeitei sua

atitude, porque essas diferenças foram vistas mais do que um gesto de carinho.

Compartilhar
Coração de poeta
11/02/2010