Site de Poesias

Menu

A CHUVA QUE CAI... (Soneto)

[Ilustração não carregada]



A CHUVA QUE CAI!
(Soneto)
 
A chuva cai e eu observo, da janela
A intensidade em que os pingos vão caindo
Batem no solo e a secura vai sumindo
Com receio dos pingos d’água, se acautela!
 
Meus sentimentos que transbordam como aquela
Chuva que cai, posto que o amor é findo.
Desnuda em mim o que restou destas seqüelas
Que a paixão houve por bem ter advindo!
 
A chuva se parece com minh’alma nua
Que em gotas se reconhece e acentua,
As cicatrizes que outrora haja sentido.
 
Entre sobejos de paixão ela flutua
Pelos pedaços que recolhe hoje na rua
Nas páginas de um passado entorpecido!
 
(Milla Pereira)

Compartilhar

Em uma madrugada chuvosa, observando a chuva de minha janela...

Milla Pereira
27/01/2010

  • 1 comentário
  • 617 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados