INVENTÁRIO

INVENTÁRIO

Passado

        Segui um caminho

Encontrei obstáculos

Colhi dissabores

Com muitos horrores

Às vezes sozinho.

Plantei muitas flores

De vários odores

Sofri os revezes

De muitos espinhos.

Presente

         Arranco sementes   

         Em duras jornadas

         Porque sou da estrada

         Pouco importa o medo

         Não escuto segredos

         Já me basta o dia

         Faço mil rebeldias

         Na estranha alegria

         De um secreto desejo.

Futuro

         Farei poesias

         Cantarei melodias

         Criarei teorias

         Pouca importa o achado

         Serei debochado

         Porque tudo é quimera

         A morte me espera

         Meu Deus, quem me dera

         Sem muita agonia.

Inventário de vida

Piritiba-Ba, 03-011987