Site de Poesias

Menu

TIMONEIRO DE MEUS ATOS

sou a massa a ser trabalhada
minhas próprias experiências

a dor e a delícia de me encontrar

a argila, matéria a ser moldada,
expressão de meus encontros
desencontros, desenganos

o sofrer e a alegria das conquistas
a exatidão de minhas medidas
limites e fortalezas de meus passos

imprecisos , vacilantes,
titubeios de minhas decisões
horizontes tão pertos longes

miragens e sonhos
fracassos e vacilos
quedas e avanços

em minhas mãos
meu destino
minha rota

opções
atalhos
caminhos...

Compartilhar

...alienar-se é perder a noção de agente de sua própria história...

EDILOY A C FERRARO
15/01/2010