Site de Poesias

Menu

A Realidade Doí


O bebê grita de fome
Seu grito na briga da mãe com a filha é abafado, some
Menina de quatorze anos seduzida por um qualquer
Do pai da criança não sabe nem o nome
Uma criança carregando outra no colo
Deus lá em cima chora, eu choro
O bebê suando por cada mero poro
A briga entre mãe e filha se acirra parece não acabar tão cedo
Chega em casa o pai caindo de bêbado
Senta na mesa grita por comida
É um ser violento desses tantos que se encontra na vida
O grito de fome da criança ninguém ouve
O pai violento se irrita com a briga
Arremessa na menina uma faca, abre-se no braço uma ferida
A menina sangra grosso
Situação vivida tantas vezes em famílias em fundo do poço
O bebê não mais se agita não mais chora
O inferno familiar para terminar não tem hora
A mãe começa a rezar com um terço
Enquanto o bebê jaz sem vida
Sua prece desesperada não foi ouvida
O pescoço enfiado em um vão do berço
Paz na família
O bebê era uma menina
Poderia ser sua filha


Autor: Lauson Silveira

Compartilhar
Lauson Silveira
11/01/2010

  • 0 comentários
  • 89 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados