Site de Poesias

Menu

MINHAS NECESSIDADES

PARA VOCÊ QUE ME OLHOU

COMO TANTAS OUTRAS PESSOAS,

- PARA AS APARÊNCIAS -

É POSSÍVEL QUE HOJE

TENHA VISTO APENAS :

A COR DOS MEUS OLHOS,

A FORMA DOS MEUS LÁBIOS,

O MATIZ DO MEU CABELO

MESCLADO PELO CALOR DO SOL;

A MINHA BARRIGA CRESCIDA

OU MINHA PELE PÁLIDA E SECA

TRNASPARECENDO DESNUTRIÇÃO.

 

NA PRIMEIRA TROCA DE OLHAR

VOCÊ ME DEU O QUE NÃO GOSTARIA DE DAR

E EU RECEBÍ O QUE NÃO FAZ PARTE

DA MINHA NECESSIDADE...

VOCÊ ME OLHOU COM PIEDADE.

 

NAQUELE MOMENTO,

- TANTOS MOMENTOS EU TIVE IGUAIS ÀQUELE -

EU ESTAVA FECHADO EM MEU MUNDO,

TÃO PEQUENO PARA MIM...

TÃO INSIGNIFICANTE PARA VOCÊ.

 

GANHARA AQUELA BOLACHA,

MINHA PRIMEIRA... ( E TALVEZ ÚNICA) REFEIÇÃO

ÀQUELA HORA DE SOL QUENTE

E QUE OS MOVIMENTOS BRUSCOS,

CONTÍNUOS E INTERMINÁVEIS

DO CARRO QUE NOS JOGAVA PARA LÁ E PARA CÁ,

ME IMPEDINDO DE COMER EM PAZ.

 

SEGURAVA-A COM FORÇA

TEMENDO PERDER AQUELA REFEIÇÃO

MAS, EM VÃO...

EU A PERDI LENTAMENTE

COM OS OLHOS TRISTES

QUE ACOMPANHAVAM O ESFARELAR-SE

CAINDO POUCO A POUCO,

C O M P A S S A D A M E N T E

POR ENTRE OS DEDOS, ATÉ O CHÃO,

AJUDADO PELO VENTO...

SENTI ACABAR-SE AQUELA REFEIÇÃO.

 

NAQUELA HORA, ESTAVA CARENTE

NÃO DE PIEDADE,

MAS, DE COMIDA;

NECESSITAVA DE AMOR

PARA A ALMA FERIDA...

PIEDADE NÃO É AMOR,

NEM CARIDADE.

(ano - 1998)

Compartilhar
Leonilton Carneiro
11/01/2010

  • 0 comentários
  • 50 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados