Site de Poesias

Menu

Antiga Rodoviária

[Ilustração não carregada]

Saudoso tempo do saudoso Américo,
que desejou fontes na cidade jorrar
se hoje vivo, estaria colérico,
ao ver o prédio que leva seu nome,
virar ruínas e seus p edaços a espalhar.

Oh antiga rodoviária da nossa cidade canção,
chega choro de tristeza ao te ver,
sempre foi monumento de orgulho,
hoje abandonada sem razão,
vejo nossa história virar entulho.

Latões lhe cercam como se fosse culpada,
fizeste o que podias, resistiu como pode,
mas sem nosso povo viraste em nada.

Tantos pais, avós e famílias inteiras,
lhe atravessaram para um abraço,
foste o centro e fiel companheira,
e de forasteiros tiraste o cansaço.

Falta mais desvelo e dedicação de nossa gente,
para por ti lutar e deixar que fique em pé,
para que não reste lembranças e fotos somente,
lutemos por ti, deixemo-nas como  ela é.

Que a ganância de poucos seja tirada,
esqueçam prédios de compras ou obras do futuro,
essa conversa chocha não valerá de nada,
tiremos e revivamos ela do monturo.

Acordem minha gente e por ela vamos lutar,
reformem-na, tombem-na e deixe nossa história viver,
deve ser orgulho de um povo o passado zelar,
e seremos um povo pobre se do passado esquecer.

Essas palavras são somente um desabafo,
de um forasteiro que a essa terra aprendeu Amar,
construamos uma cidade do futuro,
com luzes neon, túneis rodovias em seu entorno,
mas por favor não deixem algo importante de lado.
Nenhum povo desse mundo tem futuro
se simplesmente apagarem seu passado.

Ouçam essa poesia em meu site
www.adilsoncosta.com

Compartilhar

O retrato de um povo é sem sombra de dúvida seu passado, aqui em Maringá sempre tivemos como cartão postal nossa rodoviária e a catedral, a rodoviária foi interditada a alguns anos e desde então é palco de brigas e de tomada de forças por parte de vários setores, uns querem demolir o antigo prédio e construir um prédio moderno com vários pavimentos, outros querem construir shopping enfim, a minha posição é que a tombem como patrimônio histórico, a reformem, tornem um local de visitação, para que as próximas gerações tenham orgulho do nosso passado.

"Adilson Costa"
20/11/2009