Site de Poesias

Menu

Poetas do velho Tempo

[Ilustração não carregada]

Enveredo-me nas entrelinhas da poesia,
buscando explicações antes explicadas,
não convencido pela fala da burguesia,
embrenho-me nesta lida,
falando e ouvindo sobre a vida,
falas sujas de pessoas recatadas.

Heróis da caneta e da pena tinteiro,
trancafiados em seus quartos solitários,
contando suas vidas, janeiro a janeiro,
transmitindo sua angustiosa emoção?
De lágrima em lágrima poção a poção.
Eram simplesmente poetas sedentários.

O único alívio era o companheiro papel,
a sangrar suas decepções e Amores,
sejam em versos, contos ou cordel,
diminuíam assim suas dores.

Compartilhar
"Adilson Costa"
18/11/2009