Site de Poesias

Menu

AMOR NA MULTIDÃO

 
Amor na multidão
 
Certo dia podia ter ido.
Talvez alguém atento teria notado.
Quem sabe ao menos um garçom amigo?
Eu quase morrendo de amor 
E todos Surdos! Nada ouviam do meu lado!
 
Engoli a dor num gole profundo,
Pra que não vissem meus olhinhos miúdos
Pra que não pusessem as mãos em meus ombros curvados
Mas, com tanto barulho, com tanta falação
Acho que seria muito pedir ali um pouco de atenção.
 
Nesse dia poderia ter ido
Aliás, ninguém mesmo teria sabido
 Seria simples e sem pretensão
Do mesmo jeito que eu havia sofrido:
Rápido e sem comoção.
 
Mas nesse dia fiquei e nada mudou...
Pus meus dedos a girar cubinhos
E minh’alma no fundo daquele copinho.
Afinal,
Foi só mais um amor na multidão,
Só mais uma dor pra minha coleção.
 

Compartilhar
Vini de Lima
08/11/2009