Site de Poesias

Menu

Lado

enquanto eu espero a noite chegar
do lado daquele lado da rua
eu vejo a noite passar
não sei se no meu berço sentado estou
ou no abismo do rabisco que restou
um grito desolado, um susto, um murro: não foi meu
o dia que me levaste e a noite que não findou
passarinhos voam vão dormindo, hora do delegado vir surgindo
e se um dia voltar que seja para te ver sorrir,
agora te deixo ir com seu olhar tranquilo
pode sair fazendo valer a pena ter que dizer adeus
as mesmas palavras que falam, me calam, me zelam
e meus olhos cansados de tudo me levam,
quem sabe volte na semana que vem
vejo que agora é noite,
então te espero lá do outro lado de lá da rua também.

Compartilhar

Rio de Janeiro

Heide
20/06/2005