A DOR DA SAUDADE

A DOR DA SAUDADE

Nascemos, crescemos,

vivemos, perdemos.

 

Tão queridas as pessoas que já partiram!

Tão saudosas ficaram marcadas

E quantas outras já sentiram

Suas lágrimas rolarem, desoladas.

 

E as lembranças então se afloram.

Em um segundo tristezas acenam.

Em um minuto alegrias confortam

Pela vida que tanto oram.

 

E tão firme se faz o pensamento

Que em algum dia irão se encontrar.

Seja cedo ou mais tarde,

Ainda é  hora de esperar!

 

Nascemos, vivemos

E de repente, morremos!

 

Priscila Brandão
© Todos os direitos reservados