AH, O AMOR!...

AH, O AMOR!...

Ah, o amor!...

Mas o que é o amor?...

É a certeza de um sentimento duradouro?

É viver em função de outrem?

É a anulação de sua própria vida?

 

As extremidades do amor são muito complexas!

Os fins não justificam os meios,

Visto que os meios são melódicos

E os extremos dissonantes.

 

O que faz acabar tão nobre sentimento?...

A incerteza de uma vida de renúncias?

Os problemas sem soluções imediatas?

A liberdade ainda que tardia?

 

Ah, o amor!...

Indescritível, misterioso.

Explosivo e audacioso.

 

 

 

 

Priscila Brandão
© Todos os direitos reservados