AOS NAMORADOS

Este corpo celígeno em noite cintilante,
Aprazia a visão de quem no contemplar;
Lua que em fase cheia no céu brilhante,
Consegue aos poetas inspiração lhes dar.

Fulgentes raios espraiam sobre o jardim,
Querendo a beleza de o vergel participar;
E o namorado colhe um ramo do jasmim,
À amada em paixão lhe passa oferendar.

Como é linda esta primorosa natureza!
Este astro luzente sempre a compartilhar.
Rainha da noite, luzeiro de certa gradeza,

Aos casais de namorados passa a inebriar.
Juras de amor em plenitude da esbelteza,
O amor consagra no mais tênue argentar.

Riva. 043