Site de Poesias

Menu

Meu bem

Vivo morto quase
de tua saudade;
há longos tempos, aliás,
este sentimento tolo, me invade.

Acho que desde que a lembrança existe
que fomos apresentados pelo acaso
falta em mim o teu abraço
em mim teu espaço persiste

desde o dia em que a despedida
com aparência de até mais tarde
atravessou a nossa vida
vivo em luta diária com esta saudade

todavia, ainda estou confiante
de que esse trem
não passará tão apressado
sobre nossa felicidade e vestígios

Crente de que o tempo doravante
levar-me-á aos seios de meu bem
e estando lá, veremos realizados
nossos desejos, prazeres e caprichos.

Mas, ainda assim
estou quase morto
de saudade tua
de ver-te nua
e entrelaçada em mim
morta quase de lúdico gozo

Compartilhar

Curitiba

Cid Rodrigues Rubelita
10/06/2005