MEMÓRIA DE UMA PAIXÃO

Fulguras a tua beleza tão suntuosa,
Aplausos ébrios sem jus contenção,
És tu rainha nessa cidade ostentosa,
Mesmo assim, serás a minha paixão!

Teu castelo que abriga adoradores,
Fazendo de ti o altar da bajulação,
Em tua homenagem cantam amores,
Mesmo assim, serás a minha paixão!

Senhora de um destino laureante,
Da natureza és parte em decoração,
O belo fêz de ti tua sensata amante,
Mesmo assim, serás a minha paixão!

Passam-se os anos mui lentamente,
Sem que percebas toda essa ilusão,
Formosura perdes, em suavemente,
Mesmo assim, serás a minha paixão!

Tu fada, regozijas toda essa cidade,
Como que tivesses notável perfeição,
Rouba o tempo tua velada mocidade,
Mesmo assim, serás a minha paixão!

Hoje, tua beleza fugidia e arquejante,
Não despertas mais encanto e emoção,
Todos de ti afastam, coração arfante,
Mesmo assim, serás a minha paixão!

Se um dia não puder eu mais te ver,
Ter-te-ei em confinada imaginação,
Êxtase visual de beleza a esvaecer,
Mesmo assim, serás a minha paixão!

Amigos, admiradores, de ti fugiram,
Já não lembram da tua consagração,
Beldades outras na cidade surgiram,
Mesmo assim, serás a minha paixão!

Riva. 020