Site de Poesias

Menu

O Viajante de Si

[Ilustração não carregada]

Existem dois lados de mim 
que dividem o meu todo.

Um é furioso vendaval 
a querer varrer com força a Terra,

O outro é brisa mansa 
que deseja proteger 
com caloroso afeto paternal.

Um é colérico movimentar 
de ondas inquietas 
a debaterem-se em mares de paixões.

O outro é humilde nascente 
de água límpida 
que ingênua e pura 
quer fecundar a terra amada.

Lutam em mim as chamas 
de um intrépito guerreiro 
com as águas tranqüilas 
do ermitão exausto.

Em mim convivem guerra e paz. 
Meu coração é impetuosa paixão 
desejando ser sereno amor.

Vivo por isto a duvidar de mim. 
Não sabendo se compactuo 
com a lucidez ou com a loucura.

Constatando que ora 
é a razão interrogativa 
que desassossega 
os meus mais ternos sentimentos,

Que ora é a turbulência 
das minhas emoções inquietas 
que retiram a serenidade 
da minha razão.

Sou conflito tropical 
desejando reunir-me 
num único e pacificado ser.

Compartilhar

01/09/2009