Site de Poesias

Menu

Comentários da Poesia "Sem palavras"

de Rosana Nobrega

Gostaria de deixar seu comentário?

Comentários

ATENÇÃO: Os comentários aqui registrados não representam a opinião da equipe do Site de Poesias, nem mesmo recebem o seu aval. A responsabilidade pelo conteúdo dos comentários é inteiramente do autor dos mesmos. Ao poeta é reservado o direito de remover os comentários de seus poemas, quando achar por bem fazê-lo.


Ela é linda mesmo Rô!
A cada releitura me faz sorrir... pensar... Arrepia e faz chorar... aceitar...
Bjs
Cris
crisprota

03/11/2009

Parabéns, a poesia é linda!!
Esmeralda

02/10/2009

Magnífica! Meus cumprimentos. Além do formato visual. Abraços,

É uma descrescência visual, com crescente conscientização de uma realidade... rica poesia.


18/09/2009

Rô... linda essa poesia... além de sonora, visual... demais!
Beijos, parabéns!!
Mariana Bergamaschi

11/09/2009

Amei a poesia. Parabens.
Vanessa

24/08/2009

Já li e reli várias vezes e a cada leitura sinto mais o sentimento que parece ter tomado conta da poetisa quando escreveu estes lindos versos.
Rose

14/08/2009

Nós não precisamos conhecer a fundo uma pessoa para descobrir sua beleza interior. Basta olhar com carinho e sentir quando alguém é especial. Especial para o mundo, não apenas para nós. Seja sempre esse exemplo de mulher.
A poesia é linda. Parabéns.
Fernando

12/08/2009

Claramente a colocação de suas palavras está ligada a capacidade da sua inteligência emocional, onde seus leitores irão beneficiar-se consideravelmente desta emoção, em sua poesia. Não pare por aqui, continue desenvolvendo estas habilidades. Você tem Potencial! Parabéns.
Roberto Dias de Nóbrega

10/08/2009

A leitura dessas palavras me levaram a compreender a sensação das mensagens ocultas no silêncio e o quanto essa ausência de verbalizações podem nos levar a um ponto que trascende a nossa imaginação.
Sou u'a mãe muito orgulhosa e pode ter certeza que sempre acreditei em seu potencial e, principalmente em sua sensibilidade.Continue pois esse caminho é infinito.
Nair

09/08/2009

Voltar à poesia