TRIBUTO À INGRATIDÃO

TRIBUTO À INGRATIDÃO
 
 
Existência sórdida que herdei do firmamento,
Em facetos aplausos hilariaram o meu pesar,
Inditosas e vis deusas fizeram o coroamento,
De uma vida em dor, no ânsia de me satirizar.
                                      
Impiedosa algia que minh’alma em vão sente,
De um cruciante fado que o mundo ofereceu;
Viajor dos heus à cata de um amor clemente,
De uma lapidar mulher que nunca aconteceu.
 
Quantos não foram, neste orbe, os desamores ,
Sustentáculos de uma felicidade em convulsão,
Frialdades, rosas que ofertavam meus amores;
 
Para no auge do prazer sugilarem meu coração.
Neste Inferno acrônico eu só tenho dissabores,
Tributo que me fizeram as déias da ingratidão.
 
Rivadávia Leite