UM DEPOIS SEM FIM

O teu lindo corpo lasso e suado,
Ao meu abraçado sobre o leito.
Dão idéia do muito que foi feito,
Que foi bem menos que o desejado...

Por nós.Embora toda e cada parte,
Do corpo, um do outro tenhamos
Visitado, em pouco tempo iremos...
Tudo repetir, com mais ardor e arte!

Opondo-se ao cansaço do momento,
A visão de nossos corpos suados,
Nos dá nova força e novo alento,

Para juntarmos com paciência fingida...
Paixão, luxúria e desejo redobrados!
E do nosso amor voltarmos à doce lida!

Deu vontade de fazer um soneto falando do depois, um depois que não existisse.,ou que sempre recomeçasse.

Em casa