Saudades ato (21)

Saudades ato (21)


Saudades dos amores que vão,
E daqueles que hão de ficar,
Quando alguém vai embora,
Bate a tristeza sem demora,
O peito logo se põe a chorar.
 
Quando bate a solidão,
A saudade vem ti abraçar,
E apertara o seu coração.
No rosto uma lagrima vai cair
Por uma irresistível emoção.
 
Saudade nunca fica para traz
Ira fazer-se presente no futuro
Tirando a nossa paz.
Cortara como um fino punhal...
Resisti-la, ninguém é capaz.
 
Quando a saudade vem nos visitar
É porque alguém teimou em ir embora,
E haverá outro que teimou em ficar,
Dois corações separados,
E a saudade a nos maltratar.

 

 

 

Obrigado pelo carinho da visita ao sair deixe um comentário ou uma simples critica.